» APRESENTAÇÃO

Jornadas da História dos Jogos em Portugal


As Jornadas da História dos Jogos em Portugal (JIJ) tiveram a sua primeira edição em 2012 por iniciativa da Associação Ludus e do Centro Interuniversitário da História da Ciência e Tecnologia da Universidade de Lisboa, no âmbito do Projeto PTDC/HCT/70823/2006 da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

As JIJ traduzem-se num encontro anual internacional, aberto a todos os interessados em jogos (matemáticos e tradicionais) e sua história, filosofia, técnica, etc. Em 2013, a segunda edição das jornadas, realizaram-se em Penafiel, tendo como entidade organizadora local a Associação para o Desenvolvimento Integrado, Sociocultural, Recreativo e Económico de Penafiel, decorrendo as mesmas nessa cidade. Sendo um evento anual, as III e IV Jornadas decorreram em 2014 e 2015, na cidade de Lisboa, abordando assuntos relacionados com os jogos em Portugal, a sua história, filosofia e a parte lúdica e científica dos mesmos.

Dando seguimento à tendência de itinerância das Jornadas, o Instituto Politécnico da Guarda, como estabelecimento de ensino superior de excelência, e a Associação de Jogos Tradicionais da Guarda, contando já com mais de 36 anos de história na recolha e divulgação da tradição lúdica tradicional em Portugal, são as entidades locais organizadoras das V Jornadas realizadas em 2016 na cidade da Guarda.
I Jornadas II Jornadas III Jornadas IV Jornadas



Apresentação da AJTG - Associação de Jogos Tradicionais da Guarda



A Associação de Jogos Tradicionais da Guarda é uma colectividade com 36 anos de existência. Desde Agosto 1979 que a AJTG vem intervindo no sentido de proceder à recolha, sistematização e incentivo à prática de Jogos Tradicionais. De âmbito distrital, a sua ação tem-se desenvolvido por todo o distrito da Guarda, pelo país e também além fronteiras.
Assim, desde o início tem vindo a participar em numerosos projetos, sempre na perspectiva da salvaguarda da cultura lúdica tradicional. Como referência salientam-se as seguintes atividades desenvolvidas ao longo destes anos:
- Organização 4ª Festa Internacional dos Jogos, Guarda 1990.
- Produção de uma peça de teatro baseada num jogo tradicional (jogo do Galo), “Nana, Ina, Não, Ficas Tu Eu Não”.
- Publicação de estudos com a temática dos jogos e do seu papel nas sociedades.
- Organização Festival Internacional de Jogos, Guarda 2010.
- Organização de diversas exposições no distrito, no país e em Espanha, Itália e França.

A par com as atividades lúdicas, culturais e de formação, também foram editadas várias publicações:
- A Malha, Desporto Tradicional Português.
- O Jogo do Galo por Terras da Beira.
- Os Jogos de Força do Distrito da Guarda.
- O Magusto da Velha em Aldeia Viçosa.
- O Beto.
- Os Jogos de Bola do Distrito da Guarda.
- A Capeia Raiana, uma Mostra de Força Colectiva.
- A Pelota, Contributo para a sua Recuperação.
- Ritos de Morte em Casal de Cinza.
- A Aprendizagem para além da Escola: O Jogo Infantil Numa Aldeia Portuguesa.
- Catarse – Guarda, 1990.
- Brincadeiras da Minha Meninice, Guarda, 28/08/1999.
- Coleção de postais "20 Anos, 20 Jogos de Humor", Jan. 2000.
- O Saber Sexual das Crianças, desejo-te porque te amo, Guarda, 30 de Junho de 2000 e Vila Ruiva, 1/07/2000.

De referir que a AJTG é Colectividade de Utilidade Pública desde 1986, recebeu a Medalha de Mérito Municipal da Guarda em 1988, é membro da TAFISA, da Associação Europeia de Jogos e Desportos Tradicionais (vice-presidência) e da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto.

O uso pedagógico do Jogo - Mostras e exposições da AJTG
“(...) O Jogo Tradicional é memória, mas é também presente: se observarmos em detalhe o jogo da criança de hoje em comparação aos jogos infantis do começo do século, constataremos que existem, obviamente, grandes diferenças. A televisão e a tecnologia dos brinquedos modernos mudaram, sem dúvida, a brincadeira infantil. A falta de espaço e de segurança nas ruas também modificaram algumas brincadeiras."

“Brinquedos dos nossos Avós”
Na sequência de um concurso lançado junto das escolas dos 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico do distrito da Guarda, nasceu a exposição “Brinquedos dos nossos avós”. O concurso com o tema do jogo tradicional pretendia que as crianças se debruçassem um pouco sobre esta temática recorrendo aos seus familiares para obtenção de testemunhos em discurso direto.

“Eu tenho um pião”

Alguns anos mais tarde, e dentro da mesma lógica de ligações entre gerações e familiares, nasce no concelho de Aguiar da Beira, um concurso dirigido a todas as escolas do 1.º ciclo do ensino básico deste concelho: “Eu tenho um pião”.
Deste esforço de promoção e motivação para o jogo do pião obteve-se um resultado observável na originalidade de mais de uma centena de piões que as crianças pintaram e desenharam de forma única e sempre diferente.
Mas, mais do que um concurso, é também o resultado dos diálogos estabelecidos entre as crianças e os mais velhos. Um resultado policromático, mas também a soma de muitos saberes, muitas experiências e, quem sabe, venha a resultar num recrudescer do jogo do pião por parte das crianças.

“O Tempo a Brincar”
Em conjunto com outras instituições, organizou-se em 2000 e 2001 uma escola-oficina de jogos e brinquedos tradicionais, composta por formação teórica e prática. Os destinatários foram adultos desempregados e devidamente inscritos no IEFP local.
Do trabalho criativo e perfeito de uma dúzia de formandas ao longo de alguns meses, obtiveram-se mais de cinco centenas de peças que hoje fazem parte do espólio da AJTG e integram uma exposição marcada pelo colorido das tradições portuguesas, pela multiplicidade do nosso folclore e pela perfeição dos nossos artesãos.

“Jogar a Tradição”
Fizemos nosso, este lema.
De facto, ao longo dos últimos 27 anos, foi isso que a AJTG fez: reavivou tradições, implementou a prática dos jogos de antanho, sistematizou informação.
Os objetos patentes nesta exposição são uma parte daqueles que nos permitiram intervir no terreno. São objetos recolhidos em inúmeras saídas que, depois, proporcionaram (e ainda proporcionam) momentos lúdicos um pouco por todo o distrito, pelo país, pelo mundo.
São portanto elementos fundamentais na ação da AJTG. Alguns são hoje apenas peças para exposição; outros continuam a desempenhar o papel para o qual foram criados: permitir que se continue a... jogar a tradição.

Participações Internacionais
A AJTG tem estabelecido ao longo do tempo relações institucionais com outras instituições cuja temática são os jogos tradicionais, tanto a nível nacional como internacional. Fruto do trabalho desenvolvido tem-se cimentado esta relação em termos de parcerias efetivas com âmbito geográfico alargado em especial ao resto da Europa. É mérito deste esforço que a AJTG integra atualmente os corpos sociais da Associação Europeia de Jogos e Desportos Tradicionais, onde assume a vice-presidência.