DIFERENÇAS ENTRE A LINGUAGEM ANIMAL E A LINGUAGEM HUMANA

 

 

 

O homem é inerente à capacidade de relacionação, uma vez que o ser humano é o polo emissor e receptor de mensagens cambiadas entre si e a realidade envolvente. É a emissão e recepção de mensagens que permite aos membros de uma comunidade, a aquisição, conservação e transmissão de conhecimento. Por isso, toda a questão do saber passa inevitavelmente pela questão da linguagem que visa o exterior. A necessidade de comunicar com os outros, levou o homem a instituir várias formas de o fazer, designadas por linguagens. A linguagem é um fenómeno tipicamente humano, a que os animais não têm qualquer forma de acesso e isto porque, só se pode falar de linguagem quando existe um sistema de signos.

A linguagem humana, é uma linguagem adquirida porque resulta de um processo de aprendizagem que se prolonga durante vários anos e supõe a integração num grupo socio-cultural, o primeiro dos quais a família. A linguagem humana é o resultado de uma herança cultural. A linguagem vai-se particularizando através da língua que é a expressão máxima de uma cultura. Assim a linguagem humana é aprendida, generativa, criativa, simbólica e abstracta, uma vez que não se refere apenas às coisas presentes, como também às coisas ausentes. É uma linguagem ilimitada podendo exprimir quase tudo (desejos, emoções, pensamentos, etc.). É extremamente variável porque cada país tem a sua língua e também apresenta variações regionais. A linguagem não é para o ser humano apenas um meio de comunicação: é o horizonte dentro do qual nasce e vive numa cultura. A linguagem é uma potencialidade existente em cada indivíduo. Por outro lado os animais comunicam graças a um sistema de signos, cujo reportório é exclusivo de cada espécie. A linguagem animal é inata, limitada, uma vez que se limita a sons articulados, não ultrapassa o nível do concreto e do imediato, apenas exprime as necessidades básicas da alimentação e da reprodução. Por muito inteligente que seja o animal para comunicar, apenas dispõem dos seus meios naturais e instintivos. Os diversos sons reflecte a génese da linguagem animal como produtos da natureza. A linguagem está presente como objecto social.

 Ao contrário, a linguagem humana terá sido um produto natural da actividade do homem e uma faculdade de adaptação humana às necessidades sociais, assim o homem inventou diversificados sistemas de signos, que lhe permitem comunicar conforme as circunstâncias que mais lhe convém: a linguagem oral, escrita, gestual ou pictórica. Através da musica, da dança, da mímica, por bandeiras, por sinais de fumo ou por morse é possível comunicar.

 

Bibliografia:

 

*      Abrunhosa, Maria Antónia e Miguel Leitão. 1994. “Introdução à Filosofia-  Um outro olhar sobre o mundo 10º ano”. 1ª Edição. Edições Asa, Lisboa, Portugal.

 

*      Marcelino, Isabel e Isabel Gomes. “Introdução à Filosofia- Sentido(s) do saber 11º ano”. 1ª Edição, Porto editora, Porto, Portugal.

 

Daniela Pinto Varandas; nº5679; C.R.E.